Doe cabelo, doe alegria

Posted on

O projeto Doe Sua Moldura visa à doação de cabelos, tanto de homens quanto de mulheres, com a finalidade de produzir perucas para pacientes em tratamento de câncer.

A ideia pioneira no Brasil surgiu em 2008, a partir da parceria entre irmãs-Felicia,Cláudia e Beatriz Jennings – com seu pai e médico cardiologista, Paulo Alberto Marques Jennings. O projeto se inspirou em duas associações americanas, a Locks of Love e a Beautiful Lenghts, ambas com o mesmo objetivo.

A doação ocorre de maneira simples. Basta prender o cabelo em um rabo de cabelo firme, na altura da nuca. Os fios devem estar secos, sem produtos adicionais de lavagem (esse processo é necessário para que o cabelo não estrague quando for enviado no pacote do correio, ele nunca pode estar úmido). A partir disso, é só cortar o rabinho, preencher o formulário que se encontra no site e colocar o cabelo em uma sacola com o zíper lock.

Os rabinhos enviados para o Studio Fred

Para doação o comprimento mínimo do cabelo deve ser de 21 centímetros (com ele preso no rabo). Cabelos que passaram por processos químicos como tintura e permanente podem ser doados também. Os únicos tipos de cabelos que não podem ser doados são dreads, os que passaram pelo processo de descoloração, extensões, úmidos e nem os varridos do chão do salão. Qualquer tipo de cabelo pode ser doado.

Um dos motivos do projeto surgir aqui no Brasil era porque muitos rabinhos eram perdidos quando eram mandados para o EUA, porque eram mandados molhados pelo correio e as doações acabavam se perdendo.

O Studio Fred, salão de cabelereiro localizado no bairro do Morumbi, São Paulo, é parceiro do projeto. Lá o corte com a finalidade de doação é feita de graça, os rabinhos são armazenados da melhor forma, até que o Doe Sua Moldura venha buscar as caixas com as doações para manda-los para a confecção.

“No começo demorou muito para as pessoas acreditarem que era um projeto sério. Hoje recebemos doações de muitos lugares, veem pessoas de longe só para poder doar.”, afirmou Kátia Rebouças da Conceição, 30, gerente do Studio.

Atualmente o Studio recebe em torno de 100 rabinhos por mês, tanto por correio, quanto clientes interessadas na doação. “Fico feliz por poder ajudar de alguma forma”, contou Carlos Henrique Gomes, dono do salão.

Fred e Carlos Henrique

Felicia estudou os projetos americanos antes de trazê-lo para o país e sua irmã, Beatriz, como cliente do Studio, sugeriu a parceria. O projeto nasceu por pura solidariedade junto com as palestras de Paulo Jennings como uma forma de divulgação e de esclarecimento da causa.

O projeto acredita que o cabelo seja a moldura do rosto de uma pessoa, e que todos os pacientes que passam pela quimioterapia ficam com sua auto estima abalada. A doação de uma peruca é a forma encontrada para poder dar um tipo de força para prosseguir na luta contra a doença. Mostrar que qualquer pessoa pode ajudar de alguma forma.

“Teve uma vez que uma mulher que teve câncer e superou a doença veio aqui e contou sua história. Ela deixou todo seu cabelo crescer bastante só para doar para ajudar outras pessoas que passaram pela mesma doença”, lembrou Kátia.

Kátia com um rabinho

Para a manufatura de cada peruca são necessários 07 rabinhos. Muitas perucas são doadas para hospitais especializados no tratamento da doença, como o Hospital do Câncer. Já foram doados mais de 1000 rabinhos por todo o Brasil.

O Studio Fred hoje procura parceria com alguma Fábrica de Peruca, como uma forma de facilitar no processo de manufatura e poder ajudar o projeto. Como o projeto ainda está em expansão é muito importante que ele seja divulgado.

Para entrar em contato com o projeto basta entrar em seu site oficial, ou pelo seu -email e telefone

e-mail doesuamoldura@hotmail.com

11 33412529

Já o Studio Fred atende no endereço abaixo

Avenida Dr. Guilherme Dumont Villares, 912. Morumbi, São Paulo, SP Brasil

Os telefones para contato são

55 11 3845-2524

55 11 3842-5455

A matéria seguinte foi publicada no Jornal Laboratório Acontece dos alunos do Segundo Semestre da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Matéria realizada pelas alunas Nathalia Moura e Nathália Farias.

Posts Relacionados